fbpx

Palestras promovidas pela Prefeitura contam a bolsistas “Histórias que inspiram”

Primeira da série, na sexta-feira  (05/07), foi com a pedagoga e ex-vice-prefeita Jacyra Ap. Santos Souza

Ensinar pelo exemplo, mostrando às gerações mais jovens relatos de quem conquistou os próprios sonhos, por meio da educação. Este é o objetivo da série de palestras “Histórias que inspiram”, promovidas pela Prefeitura de Hortolândia. A iniciativa do Departamento de Geração de Renda e Economia Solidária, da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, é voltada a bolsistas do programa Acerte (Ação Cidadã de Requalificação, Trabalho e Educação), lançado em fevereiro deste ano. A ideia é que os participantes assistam a palestras motivadoras a cada dois meses.

A primeira delas, na manhã da última sexta-feira (05/07), foi ministrada pela pedagoga Jacyra Aparecida Santos Souza, que falou para 195 bolsistas no auditório Profa. Andreia Marise Borelli, no Remanso Campineiro. Inspirada pelo exemplo da primeira professora, no antigo Primário, Jacyra contou como superou todas as dificuldades para conquistar o sonho de, um dia, também ser professora.

Embora tenha ingressado na escola aos sete anos, em Lucélia/SP, na região de Marília, em razão do trabalho na roça, precisou interromper os estudos ainda na antiga 4a série do Ensino Fundamental. Só conseguiu retomá-los com 30 anos de idade, já casada e com filhos, depois de vir morar em Campinas, onde trabalhou como doméstica, faxineira e metalúrgica. Nos anos 80, mudou-se para Hortolândia, ingressando, por concurso público, em 1985, na rede estadual, como inspetora de alunos. Motivada pelo então diretor da escola, ingressou na EJA (Educação de Jovens e Adultos), passo importante para concluir o Ensino Fundamental e o Médio, e, posteriormente ingressar na faculdade de Pedagogia. Neste período, foi aprovada em outros concursos públicos, atuando como escriturária, professora leiga e depois supervisora de ensino, cargo em que se aposentou em 2015. Após a experiência como professora leiga em uma escola no Jd. Santa Rita, foi convidada  para implantar a EJA na cidade, nos anos 90.

Antes, porém, de concluir o ciclo produtivo, Jacyra foi secretária municipal de Educação de Hortolândia, entre 2007 e 2008, e depois de eleita vice-prefeita na chapa do prefeito Angelo Perugini, em segundo mandato, atuou como Chefe de Gabinete e secretária de Educação e de Governo, entre os anos de 2009 a 2012, estando à frente da implantação no município do IFSP (Instituto Federal de São Paulo), campus Hortolândia. Uma história de superação e conquistas, guiada pela educação.

“Estudar vale a pena. O diferencial para a gente atingir a meta na vida é fazer este esforço acadêmico também. Deus é capaz de dar e fazer mais do que a gente imagina, é fonte de força e de esperança para prosseguir na jornada”, ensina Jacyra.

“Apesar de sabermos que o país enfrenta uma grave crise e a meritocracia não é um sistema justo, ainda assim existem pessoas que conseguem se sobressair com todas as dificuldades. Essas pessoas nos inspiram a lutar, mesmo sabendo que o sistema não é justo, a luta é o incentivo de que podemos ir um passo além. É importante para as pessoas reconheçam no outro a sua história e, a partir daí, comecem a construir a sua própria história, sabendo que é sempre possível dar mais um passo”, afirmou o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Bueno, na cerimônia de abertura do ciclo de palestras.

Sobre o programa Acerte

O Programa Acerte é voltado a pessoas de 18 anos ou mais, em estado de vulnerabilidade social e disponíveis para atuar no mercado de trabalho. Por meio dele, a Prefeitura oferece cursos de qualificação profissional, além de criar condições para garantir aos aprendizes direitos universais básicos na área de educação, saúde, alimentação e renda.

Além de qualificação profissional, o aprendiz recebe bolsa-auxílio pela participação em estações de vivência, sendo estimulado a desenvolver talentos que, muitas vezes, nem imaginava possuir e conquistar uma profissão.

Para permanecer no Acerte, o bolsista precisa participar de 75% das atividades de qualificação profissional, por meio de lista de presença assinada no dia da atividade, e ter frequência obrigatória na EJA (Educação de Jovens e Adultos), caso necessário.

Fonte: www2.hortolandia.sp.gov.br

Sem Comentários até o momento.

Deixe o seu comentário.