fbpx

Método Cornell: a técnica que melhorará suas anotações (e estudos)

Se tem algo que une estudantes mundo afora é a dúvida sobre qual a melhor forma de fazer anotações durante a aula ou ao ler um livro importante. Cada pessoa acaba desenvolvendo seu próprio método, mas nos anos 1940 um professor da Universidade Cornell, autor de Como Estudar na Faculdade (How to Study in College, no título original em inglês), criou um sistema que até hoje é bastante respeitado: as anotações Cornell.

É bem menos complicado do que parece e consiste em dividir as páginas de anotações em três seções. Uma para parafrasear as principais ideias da aula ou do texto, outra para resumi-las e uma terceira para anotar perguntas. Mas não precisa ser tudo ao mesmo tempo.

O primeiro passo é desenhar uma espécie de I (maiúsculo, com a lateral direita maior que a esquerda), com o cuidado de deixar espaço o suficiente para escrever, claro. No topo, escreva o assunto e a data. No espaço maior central, faça as anotações ou desenhos que achar pertinentes para a compreensão do tópico. Lembre-se de pular uma linha entre as ideias para facilitar a compreensão e sinta-se à vontade para abreviar o que achar necessário — as anotações são de você para você, desde que você as entenda, é tudo o que importa.

Terminada a aula ou a leitura, use o canto esquerdo para destacar as ideias principais e destacar informações que julga importantes, como nomes ou datas. E, no canto inferior, tente resumir a lição em poucas frases. Vale responder a pergunta: se eu fosse explicar isso a outra pessoa, o que eu diria?

Na hora de estudar, comece lendo a caixa principal, estude com afinco as anotações do canto esquerdo e releia o canto inferior. A boa notícia é que se você tiver feito um bom trabalho ao anotar, provavelmente será muito mais fácil revisar e se preparar para uma prova.

Fonte: revistagalileu.globo.com

Sem Comentários até o momento.

Deixe o seu comentário.