fbpx

5 hábitos que podem prolongar sua vida em até 10 anos

uer ganhar mais uma década de vida em sua estadia na Terra? De acordo com um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Harvard (EUA), a receita para obter anos adicionais de existência é simples – conta somente com 5 ingredientes – e depende única e exclusivamente de você.

Publicada no periódico Circulation, a pesquisa foi desenvolvida a partir da análise de 123 mil voluntários, que responderam a questionários, realizaram exames médicos e tiveram avaliados seus hábitos rotineiros, tais como a manutenção de uma alimentação saudável, o controle de peso, a prática de exercícios físicos e consumo reduzido de álcool e tabaco.

Posteriormente, esses dados foram cruzados e os cientistas mediram a média de expectativa de vida de cada um dos participantes – e foi aí, então, que perceberam os efeitos dos hábitos saudáveis.

Por exemplo, quando analisados em conjunto os participantes que não adotavam nenhum dos comportamentos e os voluntários que eram adeptos de uma alimentação saudável, controlavam o peso, praticavam exercícios, ingeriam pouco álcool e não fumavam, a diferença da expectativa de vida foi significativa.

Aos 50 anos de idade, os homens saudáveis iam de 26 para 38 anos extras e as mulheres saltavam de 29 para 43 anos adicionais. Em outras palavras, os voluntários que cuidavam bem do corpo e da saúde ganhavam 12 anos (homens) e 14 anos (mulheres) a mais de vida, comparados aos colegas que não adotavam o mesmo estilo.

“Quando nós embarcamos nesse estudo, eu pensei que era claro que as pessoas com esses hábitos [saudáveis] viveriam mais. Mas foi surpreendente o quão grande era essa diferença”, afirmou Meir Stampfer, professora de epidemiologia e nutrição da Universidade de Harvard e coautora do estudo, ao jornal inglês The Guardian.

Os cinco hábitos
De acordo com os autores do estudo, os cinco hábitos saudáveis são:

1) Não fumar;
2) Ter um índice de massa corporal (IMC) entre 18,5 e 25;
3) Realizar, pelo menos, 30 minutos de atividade física por dia;
4) Consumir menos de 150 ml de uma taça de vinho, no caso das mulheres, e menos de duas para os homens;
5) Ter uma dieta alimentar rica em frutas, vegetais e grãos integrais e pobre em carne vermelha, gorduras saturadas e açúcares.

Ainda segundo a pesquisa, os voluntários que eram adeptos de tais comportamentos tinham um risco reduzido em até 82% de morrer por conta de um infarto cardíaco; e 65%, de câncer, caso comparados com indivíduos que não praticavam os hábitos saudáveis.

A princípio, a pesquisa foi elaborada com o propósito de entender a expectativa de vida da população norte-americana. Em geral, apenas 8% dessa população adota os cinco hábitos saudáveis.

Ainda assim, os resultados obtidos são significativos para o mundo ocidental, em que a adoção dessas práticas ainda sofre resistência.

“Eu acredito que as pessoas precisam se mexer e fazer disso uma responsabilidade pessoal, porém, como sociedade, nós também precisamos facilitar para que as pessoas o façam”, afirmou Stampfer. “Podemos ficar presos em uma rotina e acreditar que é muito tarde para mudar nossos hábitos, mas provamos que quando essa mudança acontece, os benefícios são extraordinários.”

Via: revistagalileu.globo.com

Sem Comentários até o momento.

Deixe o seu comentário.