Morte de menininha picada por escorpião levanta alerta sobre primeiros socorros

imagens-de-destaque-so-existe-deitada

Uma garotinha de 3 anos de idade morreu dois dias após ter sido picada por um escorpião enquanto brincava com o seu irmão na porta de casa, em Jacareí, no interior de São Paulo.

A mãe da menina viu que se tratava do ataque de um escorpião e levou a filha para uma Unidade de Pronto-Atendimento Infantil (UPA). De acordo com informações do G1, a vítima chegou a recebeu um medicamento para combater o veneno.

O caso alerta para a importância dos cuidados em áreas de risco e primeiros socorros, que podem ser decisivos para salvar vidas.

Picadas de escorpião são comuns?

Segundo dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sisan Net) do Ministério da Saúde, entre 2010 e 2015, 393.933 casos de picadas de escorpião foram registrados no Brasil.

Entre eles, 48.198 foram em crianças com idade entre 0 e 9 anos. Neste período, 480 pessoas morreram, sendo 192 delas crianças. Ou seja, 40% dos óbitos foram em crianças desta faixa etária.

O estado com maior número de ocorrências foi Minas Gerais (88.666), seguido por São Paulo (55.323), Bahia (57.341), Pernambuco (38.836), Alagoas (35.093), Pará (10.248) e Paraná (6.396).

São vários os tipos de escorpião venenosos e eles estão espalhados pelo Brasil inteiro. De acordo com o Instituto Butantã, a picada causa dor no local atingido e, infelizmente, apresenta evolução na maioria dos casos.

Segundo artigo publicado no site da Universidade Estadual Paulista (Unesp), a dor é intensa, irradia pelo membro afetado provocando sensação de queimação, agulhada e latejamento e o local fica inchado e avermelhado.

O veneno injetado pelo escorpião pode matar adultos também. Contudo, em crianças, ele costuma ser mais grave. A maioria das picadas (65%) acontece nas mãos ou nos antebraços.

Sintomas

Outros sintomas costumam aparecer duas a três após o ataque. São eles: febre, suor constante e abundante, náusea, vômito, salivação excessiva, dor abdominal, diarreia, arritmia cardíaca, alteração na pressão sanguínea, alterações respiratórias, agitação, sonolência e confusão mental.

A principal causa de morte é em decorrência do acúmulo de fluidos no pulmão que acontece após o veneno injetado pela picada provocar alterações respiratórias.

O que fazer?

Ao ser picado, a recomendação é fazer compressas mornas no local e tomar analgésicos para aliviar a dor enquanto a pessoa é encaminhada para um serviço de saúde. É indispensável procurar atendimento médico para que o especialista avalie se a vítima precisará ou não receber soro para tratamento.

Este soro é disponibilizado gratuitamente em todo o Brasil. No site da Secretaria de Estado da Saúde de cada estado é possível encontrais os locais em que o soro está disponível.

É grave?

Quando a vítima é socorrida rapidamente, são grandes as chances de melhora. De acordo com especialistas da Unesp, a gravidade do envenenamento depende da dose de veneno injetado e também da espécie do escorpião.

O veneno do escorpião amarelo é o mais potente do Brasil e da América do Sul.

Como ocorrem os acidentes?

Crianças frequentemente brincam próximo a refúgios de escorpiões e acabam sendo picadas ao seu aproximarem pois desconhecem os riscos. Porém, escorpiões também podem entrar em casas por meio da rede de esgoto e se alojarem em sapatos. Nestes casos, eles costumam picar a vítima enquanto ela calça o calçado.

Como se prevenir

Os escorpiões são animais de hábitos noturnos e por isso passam a maior parte do tempo se escondendo da luz, principalmente em lugares com grilos, baratas, cupins e invertebrados em geral, que são suas presas.

Geralmente, eles ficam próximos a troncos caídos e tocas abandonadas, cupinzeiros e embaixo de pedras. Na cidade, eles podem ser encontrados em entulhos, lixões e redes de água e esgoto.

Manter os locais próximos da sua casa limpos é uma importante forma de prevenção. Além disso, olhe sempre seus sapatos antes de calçá-los, use luvas de couro para mexer em entulhos e não deixe a grama alta.

Veja Também

Sem Comentários até o momento.

Deixe o seu comentário.